S. Macaio

“São Macaio” é uma canção dançada nos Açores. Foi sobretudo na ilha Terceira que a sua tradição se generalizou. Tudo leva a crer que o seu nome original seja São Macário e que o nome com que ficou conhecido seja já uma degeneração do primei­ro. Acredita-se que São Macário seria um navio que andava entre as ilhas e o Brasil e que teria naufragado numa das suas viagens. Pois como diz a canção; ‘São Macaio, deu à costa…) toda a gente se salvou…(…) só o São Macaio é que não”.   (fonte )

Versão de “Samacaio” pelo Grupo Folclórico e Etnográfico da Associação Cultural Lajense da Ilha das Flores.

Versão divulgada por Zeca Afonso:

San Macaio, San Macaio deu à costa, [Bis]
Ai deu à costa nos baixos da Urzelina;[Bis]
Toda a gente, toda a gente se salvou, [Bis]
Ai se salvou, só morreu umamenina. [Bis]

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa lá na Ponta dos Mosteiros;
Toda a gente, toda a gente se salvou,
Ai se salvou, só “morreu” dois passageiros.

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa, deu à costa na fundura;
Quebrou-se-lhe, quebrou-se-lhe o tabuado,
Ai ficou só, ficou só na pregadura.

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa na Baía da Feiteira;
Toda a gente, toda a gente se salvou,
Ai se salvou, só morreu uma feiticeira.

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa nas pedras da Fajãzinha;
Toda a gente, toda a gente se salvou,
Ai se salvou, só morreu uma galinha.

San Macaio, San Macaio já é velho,
Ai já é velho e também é marinheiro;
Andava, andava sempre perdido,
Sempre perdido por causa do nevoeiro.

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa nos baixos do Maranhão;
Toda a gente, toda a gente se salvou,
Ai se salvou, só o San Macaio não.

AMLP-NUM 03
—–

« Zeca Afonso canta esta canção no álbum “Contos Velhos Rumos Novos” editado em 1969. (ver ). Dado a excelência da sua música, desde então a sua versão tornou-se muito conhecida e a mais divulgada. (ouvir aqui)
 
Anúncios

Pelo mar abaixo

a)
Pelo mar abaixo
vai um cobertor;
Quem pega e não pega?
Pega o meu amor.

Pelo mar abaixo
vai uma cestinha;
Quem pega e não pega?
Pego eu que é minha.

Pelo mar abaixo
Vai uma panela (tijela)
Quem pega e não pega?
Pega o dono dela.

Pelo mar abaixo
Vai um tinteiro.
Quem pega e não pega?
Pega o meu dinheiro.
(Cinfães)

………………
b)
“Polo” mar abaixo
Vai uma caniça,
Quem acod’ó fogo
Em casa da carriça.

“Polo” mar abaixo
Vai uma canastra.
Quem acod’ó fogo
Em casa da cabaça.
……………
c)
Por o mar abaixo
Vai uma cabaça,
Se ela leva o vinho,
leva toda a graça.

Por o mar abaixo
Vai uma gaivota,
Leva no bico
A tranca da porta.

Por o mar abaixo
Vai uma galinha
Se ela leva ovos,
pitinha pitinha.

Por o mar abaixo
Vai uma raposa,
Leva o rabo aberto,
Não torna p’ra casa.

(Ponte do Lima)
CPP-JLV (I-154-6)