– Arquivo de música de língua portuguesa – natura.uminho

1 -Cancioneiro JJ : Arquivo de música de lingua portuguesa – Projecto Natura (2002)AMLP-NUM02
http://natura.di.uminho.pt/~jj/musica/bin/vcancioneirojj.a4.pdf

2 – Música Popular- Arquivo de música de lingua portuguesa – Projecto Natura (2003) AMLP-NUM03
http://natura.di.uminho.pt/~jj/musica/vpopular.pdf

—–
«Vou-me embora vou partir
Letra e música: popular: Alentejo; Intérprete: Vitorino (?);

Vou-me embora, vou partir
mas tenho esperança
de correr o mundo inteiro, quero ir
quero ver e conhecer rosa branca
e a vida do marinheiro sem dormir
E a vida do marinheiro branca flor
que anda lutando no mar com talento
adeus adeus minha mãe, meu amor
eu hei-de ir hei-de voltar com o tempo.

AMÇLP-NUM03
http://natura.di.uminho.pt/~jj/musica/vpopular.pdf

San Macaio
Letra e música popular: Açores;

San Macaio, San Macaio deu à costa, [Bis]
Ai deu à costa nos baixos da Urzelina;[Bis]
Toda a gente, toda a gente se salvou, [Bis]
Ai se salvou, só morreu umamenina. [Bis]

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa lá na Ponta dos Mosteiros;
Toda a gente, toda a gente se salvou,
Ai se salvou, só “morreu” dois passageiros.

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa, deu à costa na fundura;
Quebrou-se-lhe, quebrou-se-lhe o tabuado,
Ai ficou só, ficou só na pregadura.

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa na Baía da Feiteira;
Toda a gente, toda a gente se salvou,
Ai se salvou, só morreu uma feiticeira.

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa nas pedras da Fajãzinha;
Toda a gente, toda a gente se salvou,
Ai se salvou, só morreu uma galinha.

San Macaio, San Macaio já é velho,
Ai já é velho e também é marinheiro;
Andava, andava sempre perdido,
Sempre perdido por causa do nevoeiro.

San Macaio, San Macaio deu à costa,
Ai deu à costa nos baixos do Maranhão;
Toda a gente, toda a gente se salvou,
Ai se salvou, só o San Macaio não.

AMLP-NUM03 (p. 94 indice/ p.15 do pdf)
http://natura.di.uminho.pt/~jj/musica/vpopular.pdf

……………………….
Cantiga da Roda
Letra e música: popular: Beira-Baixa; Intérprete: Filipa
Pais;
Ai, borda d’água, borda d’água
ai, borda d’água, Santarém
borda d’água, Santarém…
ai, vale mais uma bord’água
ai, que quanto Lisboa tem.
borda d’água, Santarém…
Ai, ó mar largo, ó mar largo
ai, ó mar largo sem ter fundo;
ó mar largo sem ter fundo…
ai, vale mais andar no mar largo
ai, que andar nas bocas do mundo.
ó mar largo sem ter fundo…»

AMLP-NUM03 pag. 25

————–

Os bravos
Letra e música: popular: Açores; (balada açoreana)
http://natura.di.uminho.pt/~jj/musica/html/acores-terraDeBravo.html

Eu fui à terra do bravo
Bravo meu bem
Para ver se embravecia
Cada vez fiquei mais manso
Bravo meu bem
Para a tua companhia

Eu fui à terra do bravo
Bravo meu bem
Com o meu vestido vermelho
O que eu vi de lá mais bravo
Bravo meu bem
Foi um mansinho coelho.
As ondas do mar são brancas
Bravo meu bem
E no meio amarelas
Coitadinho de quem nasce
Bravo meu bem
P’ra morrer no meio delas.
Eu fui à terra do bravo
Bravo meu bem
Para ver se embravecia
Quis  bem a quem me quer mal
Bravo meu bem
Quis bem a quem me não queria.

AMLP-NUM03

Outras quadras – Dizes o teu amor bravo,
Bravo meu bem, não é mais do que o meu bem.
É bravo, porque não quer,
Bravo meu bem, que eu olhe pr’a mais ninguém.
Eu fui à terra do Bravo,
Bravo meu bem, vestidinha de amarelo.

AMLP-NUM03 pg.29

——-

Delicada da cintura
Letra e música: popular: Alentejo; Intérprete: Vitorino;

Delicada da cintura
Como a palha do centeio
Tu é que és a criatura
Por quem eu tanto vareio.
Os olhos do meu amor
São duas azeitoninhas
Fechados são dois botões
Abertos duas rosinhas.
Eu gosto dos figos lampos
Da figueira rebeldia
Gosto das moças do campo
Olha a minha simpatia.
Nas ondas do meu cabelo
Vou-me deitar a afogar
É p’ra que saibas amor
Que há ondas sem ser no mar.
Victor Almeida (Redondo)
0In: “Não há terra que resista – Contraponto”, 1979;

p.34

————————

No alto da montanha
pertinho lá do céu
havia um castelinho
aonde um rei viveu
de lá se via o céu
se via a terra
ao longe o mar
no alto da montanha
quem me dera lá morar

——

Lá vai o comboio
Letra e música: popular (?); (canção infantil)
Lá vai o comboio
lá vai a’apitar
Lá vai o comboio
p’ra beira do mar
p’ra beira do mar
p’ra beira do rio
e os passageiros
cheiinhos de frio
cheiinhos de frio
cheios de calor
e os passageiros
a tocar tambor
A. Guimarães

(em construção)

Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s